quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Querêncio


Dentro do Armário
mora um monstro
de cara amarrada
e dentes grandes.
Sempre que o menino se deita
o monstro o observa vigilante.

De noite,
em silêncio
matreiro
abre a porta.
Espia o menino Querêncio
que dorme
de boca torta.

Pé por pé
o monstro
deixa o armário,
da cama vai se aproximando.
E o pobre do Querêncio dorme
chega a estar ronronando.

O monstro
os braços levanta
preparando o ataque fatal.
Irá devorar o menino
tal qual um peru
em noite de natal.

Porém, ora veja!
Que surpresa!
De malvado
o monstro só tem o jeito.
Com cuidado cobre o menino
da ponta dos pés até o peito.

Para o armário
o monstro retorna,
sensação de dever cumprido.
Volta para vigiar o sono
De Querêncio,
seu amigo querido.

Jana Lauxen - Membro da Taverna Filosófica.

Sei que o texto fala de um personagem menino e a imagem que ilustra é uma menina, porém para quem já teve oportunidade de ver uma foto da Jana sabe que a imagem tem tudo a ver com ela. Cara de sapeca, olhão verde... E escondida em baixo do cobertor assutada como o Querêncio!

4 comentários:

Jana disse...

Olha eu aqui, metendo o bedelho em todos os lugares!
A-dorei.
E depois, não podemos negar: há um Querêncio em mim, e há um Querêncio em você.
Ou houve, ou haverá.

Beijocas taverneiros!
Avante!
:)

Deborah Brandão disse...

Sim Jana...
Há um Querêncio em cada um de nós!
Beijos

NÊM CAMPOS disse...

muito lindo, espero que jana jamais desista de postar aqui!

NÊM CAMPOS disse...

Adorei!